segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Deum - Predestinação e Livre Arbítrio


Predestinação e Livre Arbítrio
Franciscus Gomarus e Jacobus Arminius

A predestinação como contrario às noções de providência e milagre.

Wiki fr Libre arbitre

Le système philosophique des Mu'tazila
A predestinação não é um pretexto à resignação, segundo o site Sajidine.

Prédestination ou libre-arbitre ? Voici la question polémique de l’Astrologie.
(par Nicolas FABRE publié dans : Découvrir l'Astrologie)


sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Personalia * Guzmán de Toledo

Guzmán de Toledo personagem de ficção do "1617" volta a estar presente no "1621".

Ao salvar Doña Maria de Toledo de Maçuellos torna-se no mestre de armas do jovem D. Francisco Manuel de Melo, um ano antes de este ir para a corte.

Durante a sua estadia em Lisboa cruza-se com o cónego da Sé de Lisboa, Vicente Nogueira (1586 - 1654), que na altura morava nas Portas do Mar, segundo http://www.arlindo-correia.com/060107.html.

Assiste à chegada de Filipe III a Lisboa.

Visita na prisão do castelo de Lisboa, D. Jerónimo de Azevedo e acaba por fugir para Madrid depois de uma traição ao seu amigo Heitor Teixeira, alcaide do cárcere dos Estaus.

Em Toledo encontra Christian Van den Bosch, infeliz encontro, em que também engana Francisco Rodrigues Silveira que lhe dá a morada de Peter Cornelius na Groninga.

Parte para Amesterdão onde quase se cruza com Peter na Dam. Segue os seus passos, por causa do negócio de armas na Sabóia, conseguindo apanhar uma pista queo leva a Gorkum, um dia depois da fuga de Hugo de Groot. Percebendo que Peter está envolvido, oferece os seus serviços ao intratável comandante Jacob Prouninck.

É assim que está em casa do tio de Peter, na Groninga, quando ele chega com Constance e Miguel de longa viagem.

O duelo terá consequências imprevistas.

Personalia - Menasseh Ben Israel

Menasseh Ben Israel retratado por Rembrandt em 1654
Menasseh Ben Israel (Manuel Dias Soeiro), nasceu na ilha da Madeira a 1604 – morreu a 20 de Novembro de 1657 em Middelburg.
Escritor, impressor e rabino. Chegou a Amesterdão em 1610 dedicando-se à tipografia e à gravura. Em 1626 fundou a Emeth Meerets Titsma`h a mais importante tipografia portuguesa em Amsterdão.
Teve vários contactos com o padre António Vieira, ver artigo de Arlindo Correia.

Personalia - Saul Levi Morteira

Saul Levi Morteira (c. 1596, Veneza - morreu a 10 de Fevereiro de 1660 em Amesterdão)
Rabino em Amesterdão, acompanhou Elias Montalto até ao cemitério de Ouderkerk em 1616.
A congregação Beth Jacob convidou-o para Hakam depois da morte de Moses ben Aroyo.
Ficou mais conhecido pelo processo de excomungação de Spinoza a 27 de Julho de 1656.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Personalia - Franciscus Gomarus


Franciscus Gomarus ou Francis Gommer, nascido na Bélgica em 1563 e falecido na Holanda em 1641.
Na Wikie.
No 1621:
Franciscus Gomarus (Francis Gommer) defendeu no Sínodo de Dordrecht em 1618 uma igreja calvinista em oposição às posições de Jacobus Arminius mais moderado.
Jacobus Arminius (Jacob Harmenszoon) defendeu a predestinação através do livre-arbítrio humano e não pela vontade soberana de Deus. Divergindo da predestinação incondicional (calvinista) que ensina que a salvação humana depende de uma "eleição absoluta e soberana" exclusivamente de Deus.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Deum - Cibele


Deusa grega da fertilidade.

Cibele ou Cíbele era originalmente uma deusa da Frígia, designada por Mãe dos Deuses ou Grande Mãe. Deusa do poder de fertilidade da natureza, o seu culto começou na Ásia Menor e espalhou-se por diversos territórios gregos, mantendo a sua popularidade até os romanos, que lhe edificaram um templo no Palatino, tendo, para isso, mandado vir de Pessinunte, em 240 a.C., uma pedra negra que a simbolizava.

História antiga relata Cibeles como andrógina, quando seus genitais masculinos, amputados tocaram no solo cresceu uma amendoeira: dos seus frutos gerou-se Atis.
Sites:

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Deum - Eterno

Renascer ou eterno retorno.

Tema central no Mithraísmo seguindo o ciclo do nascer e pôr do sol como uma vitória eterna.

Texto brasileiro sobre Eterno retorno com referências a Friedrich Nietzsche.

Ourouboros ou oroboros.

Mandala sobre renascer no blog A Nossa Candeia de Ana Paula Fitas.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Situ - Palácio dos Estaus

Estaus e Cárceres do Santo Ofício de Lisboa na maqueta do Museu da Cidade.



Detalhe da gravura de Georgius Braunio (1541-1622)


Nesta gravura não se vê o chafariz. Porquê?
No livro "1621" foram analizados vários processos do Santo Ofício, sendo dois processos de particular interesse: 2742 e 5393. Em ambos o Senhor Inquisidor foi Pero da Silva de Sampayo.

Processo nº 5393, ANO DE 1618, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, contra Isaac Almosnino de Isaac Almosnino (50 anos). Encontrei referências ao modo de viver em Fez no princípio do séc. XVII.
Processo Nº 2742, ANO DE 1618, Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, contra Inês Henriques de Leão (23 anos). Encontrei referências ao alcaide dos cárceres e aos interiores dos Estaus.
1) Em Setembro de 1618 era Heitor Teixeira o Alcaide dos Cárceres nos Estaus.
2) "fragmentos de uma conversa entre a ré e Miguel Soares: marido de Maria de Sousa, presos que estão no lado do corredor do meio velho, ela na oitava e ele na nona casa, ficando ao meio a porta do dito corredor da vigia, que não se abre pela banda de dentro; ele não tem companheiro, ela, uma velha que se chama Catarina Henriques... "
Podia haver dois presos por "casa" e os cárceres eram mistos.


Estaus antes de ser Cárcere do Santo Ofício (a maqueta encontra-se no Museu da Cidade)

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Personalia - Victor Amadeus I

Victor Amadeus I, Duque da Savóia. Torino, 1587 - 1637


Cognome Leão de Susa. Casou-se com Christine Marie filha de Henri IV de França. Herdou os problemas do seu pai, Carlos Emmanuel I, com a Espanha, apesar de ser filho de Catherine Micaela infanta de Espanha. Senhora de enorme beleza, como se pode ver na imagem seguinte, que não resisto a reproduzir:

Para o "1621" interessa aprofundar o seguinte facto histórico que retirei da Wiki:
Charles Emmanuel obtained the help of French troops to free Alba from the Spaniards (January 1617), as the new King Louis XIII resumed his father's former alliance with Savoy. His sister Christine Marie was married with Charles Emmanuel's son, Victor Amadeus in 1619.

Situ - Escalda


Escalda é o nome espanhol do rio de Antuérpia, optei pelo nome em espanhol para mais tarde falar da ponte de Farnesio no cerco de Amberes (Anvers-Antuérpia).
Ou seja é o Escaud francês ou belga, e, o Schelde neerlandês.

Quanto à ponte, voltarei aqui para contar a história de 1585 e da conquista de "Amberes".

Quanto ao rio, aqui fica a referência Wiki e a referência ao "1621", pois é o rio que Peter, Constance e Miguel atravessam com a ajuda de Gaspar Duarte.
Para uma futura ficha de barcos, há uma referência a "escarpoises" que não consegui aprofundar, mas o texto aqui apontado é interessante para uma análise histórica do "Escalda".

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Objectu - Barcos - Tjotters


Neste desenho, que vem da folha Le Renard, talvez se possa classificar os "hoogaars" pelo tipo de patilhão. Infelizmente, nos desenhos que se reproduzem a seguir, os patilhões estão demasiado submersos para se poder ver o seu recorte. No entanto, até novas conclusões, fico com a ideia queo barco que Elsjie utilizou na fuga de De Groot terá sido um Tjotter!


Será um Tjotter que se vê nas gravuras? Na primeira, Elsjie está a acenar para o castelo, provavelmente a avisar Maria que Hugo estáva bem e, na outra, a energica rapariga manda embarcar o baú da fuga. Talvez estivesse a falar com o seu apaixonado Willem...

Imagens de um tjotter restaurado.

Outros barcos de trabalho do Maas: Schouwen, botters, aken.

Outros barcos que não identifiquei.

Histórias de restauros, que infelizmente não sei traduzir...

Situ - Woudrichem

Planta do forte de Waoudrichem


Cidade mediaval à beira do rio Maas, perto do castelo de Loevenstein.
É a cidade onde Peter Cornelius vai ficar durante um mês a preparar a fuga de De Groot.

Personalia - Elsje van Houweningen

folhetim sobre a fuga de De Groot em 22 de Março de 1621
Elsje van Houweningen era a dama de companhia de Maria van Reigersbergen, mulher de Hugo de Groot. Consta que foi ela quem arquitectou a sua fuga com a ajuda da irmã de Van Erpe, utilizando uma mala de livros.
Um dos homens que carregou com a arca pode ter sido o seu namorado Willem, homem de confiança de De Groot.
Willem Cornelisz van Velden (1601 † 1663) casou-se com Elsje van Houweningen em 1625 em Haia. Foi assistente de Hugo de Groot acabou depois por se tornar homem de leis.
No livro "1621" assumiu-se a liberdade criativa de considerar que eram quatro pessoas a carregar a mala, sendo um deles Peter Cornelius.

Personalia - Joris van Spilbergen

Rei de Kandy Vimala Dharma Suriya com Van Spilbergen em 1602
Foi Joris Van Spilbergen quem viajou com Jacob Le Maire no regresso à Holanda. Jacob morreu entre Novembro e Dezembro de 1616 (por confirmar o mês) a bordo do navio Amesterdam, depois de ter estado preso em Jacarta, onde o navio Eendracht esteve apresado.
Jacob Le Maire, era filho do huguenote francês Isaac Le Maire (1558-1624) que foi co-fundador da VOC, até entrar em conflito em 1605, e sócio de Willem Schouten na Companhia Australiana (processo durou até 1622... altura em que a WIC ficou com a rota que queriam registar).

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Situ - Thamusida

Vénus de Thamusida
Thamusida (Sidi ali Ben Ahmed) fica a dez quilómetros a montante de Kenitra na margem esquerda do rio Sebou. Antigas ruinas romanas, serão utilizadas como porto e armazém da personagem "Samandris" do "1621".
Não existem referências históricas de que estas ruinas romanas tenham tido utilização depois de 280 AD, e muito menos que Antoine de Sallettes as tenha utilizado como base de operações. É uma pura liberdade criativa do livro "1621".
Le site de Thamusida (Sidi Ali ben Ahmed).
Arqueologia de Thamusida
Mapa da zona de Kenitra
Mégara Hyblaea Por Georges Vallet, François Villard, Paul Auberson, Michel Gras, Henri Tréziny, Henri Broise (procurar "sebou" e "paon doré")
Outros sítios romanos interessantes para o 1621: Banasa, Lixus / Volubilis

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Personalia - Hans Lippershey



Hans Lippershey foi um criador de lentes neerlandês (1570 1619)


Em finais de 1608 apresentou a primeira realização de uma luneta . Esta luneta levou rapidamente outros investigadores à construção da "lunette astronomique", e depois ao "telescópio".
Biografia em inglês.
Outro grande: Johannes Kepler

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Personalia - Pau Claris i Casademunt

Pau Claris i Casademunt
Barcelona, 1586 - 1641

Nomeado Bispo de La Seu d'Urgell em 1612.
Pau Claris tinha 33 anos em 1619 e era há sete anos bispo d'Urgell.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Situ - Bu Regreg

Bu Regreg

from Wicki:
El Bu Regreg o Bū Rāqrāq (en árabe, بو رقراق; en transcripción francesa, Bouregreg) es uno de los principales ríos de Marruecos, que nace en el Atlas Medio, a la altura del monte Mtzurgan (provincia de Jemiset) y de Gru (provincia de Jenifra), y desemboca en el Océano Atlántico en Rabat, sirviendo de frontera natural entre la capital marroquí y su ciudad vecina, Salé. Su caudal medio es de 23 m³, pero puede llegar a los 1500 m³ en época de crecidas.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Personalia - Johann Valentin Andrea


Objectu - Barcos - Nuestra Señora de la Concepcion

Joia do tesouro afundado, com forma das petálas de plumeria.



A 20 de Setembro de 1638 o navio Nuestra Senora de la Concepcion afundou nos recifes de Saipan, a segunda das maiores ilhas nas Marianas com as quatrocentas pessoas que iam a bordo e o tesouro de Don Sebastian Hurtado de Corcuera (acusado de ter desviado bens da coroa).

Objectu - Barcos - Construção

Spanish galizabra, 1589. Archivo General de Simancas


Site sobre construção naval espanhola vs portuguesa de Paulo Monteiro, e outro artigo do mesmo autor sobre João Batista lavanha.

João Baptista Lavanha na Wikipédia.

Objectu - Barcos - Galera

Galera corsária


Curiosidade: modelo em piscina de uma Galera de Lepanto











outros barcos de época: Fusta



Personalia - Duque de Guisa

Henri de Guise, le Balafré, nasceu a 31 de Dezembro de 1549, morreu assassinado a 23 de Dezembro de 1588.


Charles de Lorraine, Cardeal de Guisa, irmão de Henri, nasceu 1554-1611.

Duas personagens da Guerra das religiões. Henri foi o pai de Charles I, Duque de Guisa e Governador da Provence para Louis III.

Charles nasceu a 20 de Agosto de 1571 e morreu a 30 de Setembro de 1640.

Depois da morte do pai e do tio, esteve preso três anos no castelo de Tours de onde se evadiu em 1591. Não seguiu os passos do seu pai na Liga Católica, abdicando da possível posição de pretendente à coroa de França, optando por apoiar Henri IV de França em 1594. O rei, mais tarde viria a dar-lhe quatro milhões de libras e o lugar de Governador da Provence. Em 1595 conquistou Marselha, que estava debaixo do comando do Duque d'Epernon, da Liga Católica. Foi almirante do Levante. Apoiou Maria de Medicis e acabou por se desentender com o Cardeal Richelieu. Exilou-se em Itália em 1631 e morreu em Cuna em ´40.

Foi ele, já no reinado de Louis XIII, que devia ter recebido um cavalo de presente do sultão Zidan através do pretenso consul, Jean Philippe de Castelane, capitão do navio que foi apresado junto com a famosa biblioteca saadita.


sábado, 1 de novembro de 2008

Objectu - Geuzenpenning

Geuzenpenning, medalhas, moedas e tokens, emitidos pelos Geuzen.

Os "Geuzen", ou pedintes, também específicamente conhecidos como "watergeuzen", "pedintes do mar", era o nome de um grupo armado, uma organização de resistentes, ou combatentes protestantes contra os "austrias". Foram fundamentais para os primeiros passos para a independência dos Países-Baixos.
Em inglês o termo como ficaram conhecidos é "Sea Beggars".

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Objectu - Arcos

Gravura do Arco dos Oficiais de São Jorge, na entrada de Filipe II em Lisboa (1619),
presente no livro de Lavanha, Viagem da Catholica Real Magestade del Rei dom Filipe II ... (Lisboa, 1622).

Referência a mais dois arcos:


Arco triumfal erigido pela classe dos mercadores de Lisboa em 1619, aquando da entrada régia de Filipe II em Lisboa. Fonte: ALVES, Ana Maria - As Entradas Régias Portuguesas. Lisboa: Livros Horinte

Arco triumfal erigido pelos familiares do Santo Ofício em 1619 por ocasião da entrada de Filipe II em Lisboa. Fonte: ALVES, Ana Maria - As Entradas Régias Portuguesas. Lisboa: Livros Horizonte, [s.d.] imagem 8.

Objectu - Livro de Luis Mendez de Vasconcelos

Do Sítio de Lisboa.
Dialogo de Luis Mendez de Vasconcelos
1608

Edição facsimilada!

Objectu - Coche


Fotografia do Museu dos Coches.

Coche de El Rei D. Filipe III de Espanha (II de Portugal) utilizado na viagem de 1619 a Lisboa. É considerado o coche mais antigo da Europa. Haverá outros carros dos finais do XVI princípios do XVII? Por favor, se souberem, enviem informações!


A visita a Portugal começou a 22 de Abril, tendo chegado oficialmente a Lisboa a 29 de Junho e atravessou a fronteira a 23 de Outubro de 1619, de regresso a Madrid, tendo ficado doente em Covarrubias (Castilla).


No livro "Congreso internacional las sociedades ibéricas y el mar a finales del siglo XVI" pode-se ler na página 69: ".. en la entrada de Felipe III en Lisboa, dos órdenes de barandillas dividieron al pueblo de la nobleza quando el rey desembarcó."


No site da revista da Marinha, sobre o bergantim real, pode-se ler: "Assim sucedeu com a chegada de Filipe II de Espanha, que desembarcou em Lisboa em 1581 e Filipe III em 1619, e algum tempo depois com outra 4, a entrada de D. Maria Isabel Francisca de Sabóia, noiva de D. Afonso VI, a 2 de Agosto de 1666."

Entrada Régia de Filipe III em Lisboa - 1619.

Portanto, Filipe III desembarcou em Lisboa e terá utilizado um coche para se deslocar...

El-Rei D. Filipe III faleceu a 31 de Março de 1621, em Madrid.

Dessa viagem existe uma narrativa ilustrada de João Baptista Lavanha, autor do "Livro Primeiro de Architectura Naval".

Essa narrativa ilustrada foi editada em Madrid. Se alguém souber onde encontrar um facssimile na Net, por favor, avise!

Mais informações sobre

João Baptista Lavanha no IC.

E mais outra:

Voltando ao coche! Se o rei deixou este coche em Lisboa, como é que voltou para Madrid? Embarcou de novo e foi por mar. Até onde? Outro coche idêntico? Referências, alguém sabe?

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Objectu - Mapa Panorâmico de Lisboa

Panorâmica de Georgius Braunio (1541-1622)

Planta perspectiva de Lisboa publicada no 2.° volume da obra de Jorge Braunio
"Urbium praeci Puarum mundi theatrum" de 1572 e de 1598.
Fonte: Museu da Cidade - Câmara Municipal de Lisboa

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Personalia - Matias Haco

Hoje estou-me a esticar...


Para trabalhar depois!

Personalia - João Nunes Tinoco

Hoje estou aflito de tempo... Por isso deixo aqui duas pistas para mais tarde trabalhar:

Planta fabulosa de Lisboa por João Tinoco que está no blogue Dias Que Voam!

E uma ficha sobre a obra de João Tinoco: http://purl.pt/369/1/ficha-obra-tinoco.html de onde transcrevo esta parte:

"João Nunes Tinoco era filho do arquitecto Pedro Nunes Tinoco (? - 1641), patriarca de uma família de arquitectos que desempenharam um importantíssimo papel no desenvolvimento da arquitectura portuguesa nos séculos XVII e XVIII. João Nunes Tinoco foi nomeado para um dos Três lugares de aprender a Arquitectura nos anos de 1630-31; em 1641 era-lhe confiado o cargo de arquitecto das obras de São Vicente de Fora, por morte de seu pai, e deteve igualmente o cargo de arquitecto da Casa das Rainhas, instituído em 1665 por D. Luísa de Gusmão.
O seu intenso percurso profissional desenvolve-se essencialmente entre os anos de 1652 e 1689, contemplando dezenas de projectos e obras, sobretudo na área de Lisboa, e elege-o como um dos primeiros arquitectos portugueses que experimentam a estética barroca: desenhou, em 1661 o sacrário da Igreja de Santa Justa, onde aparecem pela primeira vez colunas torsas, de grande efeito cénico, repetido em dezenas de retábulos pelo norte do país, os Conventos de S. Francisco da Cidade e de S. Francisco de Xabregas, o Convento da Graça, a Igreja de Santa Teresa das Carmelitas Descalças de Carnide, etc, mas também se salienta a edificação do seminário jesuíta de Santarém, na década de 70. Segundo Paulo Varela Gomes (1998), terá colaborado, ainda que episodicamente, nas obras de Santa Engrácia, atribuídas oficialmente ao arquitecto João Antunes (?-1712), seu discípulo."

domingo, 12 de outubro de 2008

Rex - Louis XIII


Louis XIII

(Fontainebleau a 27 de Setembro de 1601 - Saint-Germain-en-Laye a 14 de Maio de 1643)


rei de França e de Navarra (1610-1643).




Lutou contra os protestantes e os Austrias.


Um dos seus médicos foi Elias Montalto.

Personalia - D. Francisco Manuel de Melo

Desenho de Victor Couto


Nasceu em Lisboa, 1608-1666

Filho de D. Gonçalo Mendes de Sá e D. Inês de Melo, segundo a Wikipedia pt

(na Wikipedia inglesa diz que o pai se chamava D. Luiz de Mello e na francesa diz que a mãe se chamava D. Maria de Toledo... alguém anda enganado.)

Numa outra ficha da Wikipedia, aparece informação contraditória que tanscrevo para verificar:

"Il naquit à Lisbonne dans une famille de haute noblesse : Par son père il appartenait à la famille espagnole des Manuel qui descendait du roi de Castille D. Fernando, le "Saint", du XIIIe siècle, qui reconquit sur les musulmans une partie de l'Andalousie. Il était aussi parent des Bragance de Portugal, et avait avec le VIIIème duc de Bragance, D. João (1604-1656), qui devait devenir son nouveau roi, en 1640, (Jean IV), un ancêtre commun, le IIIème duc de Bragance exécuté à Évora, en 1483, sur l'ordre du roi D. João II de Portugal. Le père de D. Francisco, militaire mourut en 1615, dans l'île de São Miguel, des Açores, laissant, outre le jeune orphelin, une fille, Isabel. La mère de Melo, Doña Maria de Toledo de Maçuellos, était fille d'un "alcalde mayor" d'Alcalá de Henares, et petite-fille du chroniqueur et grammairien portugais Duarte Nunes de Leão. Melo fit ses études au collège jésuite de Lisbonne, appelé "Colégio de Santo Antão", études interrompues par lui dès l'âge de 17 ans, pour s'engager dans l'armée. C'est ce qu'il expliquera , en 1636, dans sa première lettre à D. Francisco de Quevedo : "... parce que dès les premières années, avec mon père, me manqua qui me disposa aux emplois dignes des hommes de bien. La liberté, plus qu'autre chose, m'amena à embrasser la carrière des armes, et cette vie de soldat (si une telle inquiétude peut s'appeler vie), je la suivis jusqu'à maintenant..." Dès cet âge de 17 ans, il aurait écrit un petit traité de mathématiques Concordancias Matemáticas de antiguas y modernas hipótesis, et à 18 ans, une nouvelle intitulée Las finezas malogradas, œuvres qui ont été perdues.

Esta versão francesa é mais correcta.

O pai, D. Luis de Melo morreu em 1615 numa visita à propriedade de Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, Açores.
Pensa-se D. Francisco terá tido a sua educação académica num colégio de Jesuítas (provavelmente, no colégio jesuíta de Santo Antão, onde terá estudado humanidades). Como pretendia seguir a carreira das armas, a exemplo do pai, estudou matemática (ref. Wiki pt).

Professores:

Jesuita Baltasar Teles

Vida e obra notável.

Obra:

Facsimile de Teodósio II - 1648 (edição de 1944)

Cuarenta Sonetos

--


-------------------------------------------

No livro de Edgar Prestage; Oxford University Press, 1922, que está online em http://www.questia.com/read/1273088?title=D.%20Francisco%20Manuel%20de%20Mello pode-se ler de novo a referência a D. Luis de Mello:

His soldier father, D. Luis de Mello, died in 1615 when on a visit to the family estate at Ribeira Grande in the island ofSt. Michael, Azores, leaving two young children D. Francisco and D. Isabel to be brought up by their mother, a Spanish lady of means, D. Maria de Toledo de Maçuellos, daughter of the Alcaide-mór of Alcalá de Henares and grand daughter of the chronicler Duarte Nunes de Leão.They were then living at a house in the Calçada do Combro in Lisbon, situate inthe parish of St. Catharine, the registers of which contain entries of the marriage of D. Francisco's parents, his own baptism and that of his sister.

Faz referência a que Francisco Manuel de Melo entraria para o Palácio Real aos dez anos.

Nas notas desta referência ver: A facsimile of his baptismal certificate together with 121 documents relating to him will be found in my biography, D. Francisco Manuel de Mello; esboço biographico, pub­lished by the Lisbon Academy of Sciences, Coimbra, 1914.

-------------------------------------------

Poema Saudades

Serei eu alguma hora tão ditoso,
Que os cabelos, que amor laços fazia,
Por prémio de o esperar, veja algum dia
Soltos ao brando vento buliçoso?
Verei os olhos, donde o sol formoso
As portas da manhã mais cedo abria,
Mas, em chegando a vê-los, se partia
Ou cego, ou lisongeiro, ou temeroso?
Verei a limpa testa, a quem a Aurora
Graça sempre pediu? E os brancos dentes,
Por quem trocara as pérolas que chora?
Mas que espero de ver dias contentes,
Se para se pagar de gosto uma hora,
Não bastam mil idades diferentes?


----


Obra do bisavô de Francisco Manuel de Melo, Duarte Nunes de Leão:


Origem da lingoa portvgvesa (facsimile)


Duarte Nunes de Leão, jurista, linguista e historiador português, de origem judaica, nasceu em Évora, provavelmente em 1530, e morreu em Lisboa em 1608. Formou-se em Direito Civil pela Universidade de Coimbra, desempenhando mais tarde o cargo de desembargador na Casa da Suplicação. Defendeu a anexação de Portugal por Castela, mas foi depois mal recompensado pelos governantes filipinos, que lhe moveram ou deixaram mover perseguições, certamente explicáveis pelo antissemitismo corrente na época. A sua obra cobre fundamentalmente três áreas: o Direito, a História e os estudos linguísticos. Na primeira, publicou diversas colectâneas de documentos. A estes trabalhos parece ter dedicado a década de 1560. No capítulo da historiografia, deixou-nos algumas interessantes investigações de carácter biográfico e genealógico sobre a casa real portuguesa, e ainda uma Descrição do Reino de Portugal , que data de 1610. A terceira dimensão da sua obra é porventura a mais relevante. Nunes de Leão publicou estudos pioneiros sobre o nosso idioma. Em 1576 veio a lume uma Ortografia da Língua Portuguesa , em que se assumiu como o fundador, no nosso país, dos estudos ortográficos. Em 1606 publicou uma Origem da Língua Portuguesa . Sabe-se ainda da existência de outros escritos, nomeadamente nos domínios da lexicologia e da etimologia, que contudo se perderam.
Duarte Nunes de Leão.


In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2008. [Consult. 2008-11-03].
Disponível na www: .

Leis extravagantes/ collegidas e relatadas pelo licenciado Dvarte Nvnez do Liam per mandado do muito alto & muito poderoso Rei Dom Sebastiam nosso Senhor] .- [Em Lisboa: per Antonio Gonçaluez, Anno 1569.

Personalia - Giovanni Paolo Lembo



Giovanni Paolo Lembo
(1570?-1618),

Jesuíta italiano que ensinou em Lisboa a Aula da Esfera entre 1615 e 1617, conheceu pessoalmente Galileu.

Lembo construio, em 1610 os telescópios do Colégio Romano e foi subscritor do célebre parecer de quatro matemáticos de 1611, documento que confirmou às autoridades eclesiásticas a justeza das observações de Galileu.

Informações do site Galileu em Portugal, e sobretudo a posição de Henrique Leitão.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Personalia - Francisco Rodrigues Silveira

"Finis Gloriae Mundi", from Juan de Valdés Leal , século XVII
Francisco Rodrigues Silveira ou Francisco Rõiz Silveira, nasceu em Lamego em 1558 e morreu em parte incerta. A última referência que se tem desta personagem é em 1634, como tendo setenta anos e escrevendo uma carta para a princesa Margarida de Mantua, à sua chegada a Portugal como regente.

Foi autor do manuscrito que deu origem ao livro "Memorias de um soldado da India" compiladas por A. de Sousa Silva Costa Lobo, sobre original existente no Museu Britânico. Existe um fac-simile no Google Books.

Partiu para a Índia na armada de Fernão de Mendonça que deixou o Tejo a 10 de Abril de 1585.

Viveu na Índia de 1585 a 1598, ano em que regressou a Portugal. Entre 1600 e 1608 fez nove viagens a Madrid, para defender o seu manuscrito junto do conselho. Queria salvar a Índia e acusava quem mandava de abuso e desonestidade.

Não foi bem recebido, nem em Portugal nem em Espanha. O seu manuscrito nunca foi reconhecido.

Mais tarde, envolveu-se num conflito de terras o que o levou a tribunal e acabou preso no Porto em 1619, por causa de um litígio com um tabelião.

Depois de 1619, re-escreveu o seu documento, e fez uma exposição com o título "Discurso sobre o progresso dos gelandezes... Composto em o anno de seiscentos e desanove por Francisco Rodrigues Silveira, estando preso na cadeia da cidade do Porto"

Em 1620 já estaria em liberdade. Mas, o tal tabelião, com o apoio de uns tios de Lisboa, tinha sido elevado ao lugar de Juiz de Fôra... Voltou, Francisco a ser condenado, desta vez a pagar uma multa e a partir para o degredo, com sua mulher D. Maria Saraiva. Não se sabe onde foi o degredo mas durou dois anos. (1626 até 1628?).

Fantasia: Em 1620, ao sair da prisão, encontra o seu inimigo tabellião no lugar de Juíz de Fôra da Comarca de Lamego. Numa fúria parte mais uma vez para Madrid para exigir justiça. No caminho encontra Christian... Fevereiro de 1620, perto de Toledo, nas margens do Tejo (Tajo). Entram na cidade juntos e cruzam-se com Guzman...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Objectu - Espadas Marrocos

Nimcha (punho)
Nimcha
NimchaKilidj Flissa

domingo, 5 de outubro de 2008

Personalia - Abd al-Ouahed

Abd el-Ouahed ben Messaoud ben Mohammed Anoun, ano 1600

Emabaixador de Ahmed al-Mansur junto da rainha Isabel I de Inglaterra

Quem era? Alguém sabe mais?

A espada é uma nimcha.
Aqui um exemplar do Museu Marítimo de Greenwich